Poesia

Me atrevo

A voar. Como Fernando Capelo, sei que é necessário ir além do que me foi ensinado. Sim, eu caio. Quantas vezes forem necessárias. E recomeço. Aos poucos começo a compreender meu corpo e minha própria forma de pensar. As distâncias são elastecidas em voos que me permitem esquecer que estou a voar.

Sou só em pleno ar.

Compreendo que quanto mais aprendo mais quero ir além. Que o horizonte pode sempre mudar. Que uma chegada pode se tornar a largada. E por que não?

Estabeleço o horizonte. E chego ao infinito de mim. Dou a volta em torno de meus próprios dons. Aperfeiçoo o tom. Para cima na serpentina de se existir em espiral. Cada ensinamento mais profundo em cada degrau.

Viver é, mesmo, surreal! 

 

Ligia Tosetto do Prado

http://www.surrealizacion.com

voar

2 comentários

Deixe sua marca por aqui! Adoraria ouvir o que você tem a dizer!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s