Crônicas Divagações

Você que nunca vi

Eu sabia que você existia. Em algum lugar desse cosmos. Muitas vezes pensei que era delirio, coisas da minha cabeça. Estava quase desistindo dessa insensata procura.

Mas meu coração é teimoso e pedia para continuar. “Falta pouco”, ele dizia.

Até que sem mais me preocupar nossos olhares se encontraram. É isso mesmo? Olhei de novo. Acho que você fez o mesmo. Pra logo percebermos que a memória é coisa da alma.

Ah, que saudade de você que nunca vi!

Você
Você (Coleção Cosmologia, por Surreali, em Giz de Cera, 2017)

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Deixe sua marca por aqui! Adoraria ouvir o que você tem a dizer!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s