Crônicas Tiny Great Moments

Empada

Hoje minha avó chamou pra almoçar na casa dela. Tinha feito uma torta de carne com tudo o mais dentro. Não como carne, mas a alegria dela com o convite e a saudade de dividir a refeição com meus avós me fez aceitar na hora a ideia. Era manhã e o meio dia ainda estava por vir.

Ao meio-dia e dois minutos chego eu e minha mãe. Minha avó estava com uma empadinha de palmito saindo do forno, me olhou e disse:

– Comprei pra você. (anote-se, aqui, a carinha de criança que faz arte e mostra feliz pros pais:”ó”)

Nessa hora, meu coração já derreteu. Não só pelo pequeno grande gesto mas também por ser empada. (Rs) Minha mãe tambem havia comprado na semana anterior a dita cuja e eu da mesma forma me alegrei pelo estômago. Percebi como todo mundo tem aquela coisinha que não importa o dia, te faz sorrir por dentro. Pois é, pra mim é a dita empadinha. Quem me conhece, sabe.

Fui levada para várias boas memórias. Como o dia no parque aquático em que eu, ainda criança, sismei de tomar chá com empada plena 4 horas da tarde e um sol de 40 graus. E lá foi minha mãe comigo procurar. O mais louco é pensar que, sim, nós achamos. Pensando bem, tenho dúvidas se essa memória é Boa pra todos os indivíduos. Continuemos…

O lugar da empada mesmo foi Curitiba. Tinha a casa da empada bem ali no Largo da Ordem. Último recanto de quem quer continuar na balada tomando a vigésima saideira ao invés de ir pra casa descansar. Claro, acompanhada da empada ou do salgado bem frito que será lembrado logo ao acordar.

E como não lembrar da empadinha no Bar do Torto. A Carla sabia que era chegar lá e esticar o olho. Isso quando eu e o Pedro não nos acabavamos no bolinho de soja.

Pois é. Tudo isso por causa de uma empadinha…

E você talvez se pergunte qual a conclusão disso tudo. Te digo que conclusão não há. Te trago apenas lembranças. Talvez você sisme de trazer as suas. De repente tem comida no meio, e fazemos uma bom café com um dedo de prosa. Na pior das hipóteses, deixei alguém com fome ou uma vontade louca de correr atrás de uma empada. Por favor, se fizer isso, passe por aqui e me conte. Mande foto.

Faça tudo, seja bobo mesmo. Só não deixe passar em branco essa memória.

Obrigada, vozinha.

Deixe sua marca por aqui! Adoraria ouvir o que você tem a dizer!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s