(Ins)pira Intercâmbio

Croácia, por quê?

Esta foi a pergunta que mais ouvi e respondi, no Brasil:

“Ok, você está indo fazer intercâmbio. Mas…por que, diabos, a Croácia? Onde fica isso?”

De tanto responder, consegui desenvolver uma resposta rápida e plenamente aceitável: eu queria uma experiência mais completa possível do meu intercâmbio. Daquelas que mudam sua maneira de ver e levar a vida, sabe? Queria voltar a sentir aquele deslumbramento inicial pelas coisas que, de tão pequenas e cotidianas, passam a ser esquecidas quando estamos acomodados em nossas cidades. Queria perder a preguiça (sim, preguiça) de falar com as pessoas. Queria perder o medo de mergulhar sozinha no novo, no desconhecido. Queria sair do dia-a-dia que tanto aprisiona e desilude. Queria voltar a acreditar que, sim, sonhos são possíveis! Enfim,…queria, realmente, uma experiência SURREAL!  Ao ponto de você não acreditar que está naquele lugar! Então, choque cultural era, com certeza, uma exigência!

Depois, necessário associar a isso um lugar onde pudesse falar inglês (já que meu alemão é bem fraco), conseguisse viver, sem ter que morrer de fome ou falir meus pais e, finalmente, fosse na Europa! Pronto, o filtro me levou diretamente para Zagreb, na Croácia!

Relutei, pensei, questionei: será?

Depois de pesquisar um pouco sobre o País, ver umas fotos (que, acredite, não são muitas), achei que valeria a pena explorar! Fora da Zona do Euro até Julho de 2013, a Croácia tem como moeda corrente a Kuna. Traduzo: 1 real, igual a 3 Kunas; 1 Euro, igual a 7,5 kunas. E, de repente, vi que seria rica na Europa, num lugar lindo e cheio de história! E, acredite, depois de 1 semana por aqui, não encontrei razões para me arrepender! Muito pelo contrário!

Malas feitas, viagem de 21h vencidas, devidamente alojada e vivendo no País… pronto, me livrei dessa pergunta! Certo? Errado! Aqui, os croatas me perguntam ainda mais:“Why Croatia?”, principalmente quando digo que sou do Brasil e estou estudando Direito (Pravo, em croata).

Então, que outro título poderia ter o blog, que não “Croácia, por quê?“. A resposta inicial foi, talvez, fácil, mas muito intuitiva. Me joguei no mundo e espero encontrar respostas, talvez mudar algumas perguntas, mas, com certeza, angariar vida aos meus dias! Comecei uma jornada que durará um ano. Espero que, após essa experiência, eu retorne mais madura, mais consciente de mim, com uma bagagem cultural maior, algumas palavras de um novo idioma (croata é muito difícil!), vivências, histórias e, claro, um sentimento de que tudo valeu a pena!

E, ao longo dessa jornada, pretendo dividir com vocês os motivos que me fazem pensar que, em verdade, a pergunta deveria ser: “Croácia, por que não?”.

5 comentários

  1. Parece que li do fim pro começo. Mas nada alterou minha impressão. Seu blog e você são muito interessantes. Continue a nos contar suas conquistas. Muito obrigada.

  2. E o bebê já não existe, exceto pelas doces lembranças. Transbordo de alegria por ter conhecido a pessoa maravilhosa que vc é. Muito aprendizado aí na Croácia, porque cultura nunca é demais. Ah! E se as fotos são poucas… Tire muitas e poste no seu blog…Super beijo!

Deixe sua marca por aqui! Adoraria ouvir o que você tem a dizer!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s